8ª Sessão – 19 maio 2012 – II SEMINÁRIO “EDUCAÇÃO EM DEBATE: (RE)PENSAR A RELAÇÃO ESCOLA-FAMÍLIA-COMUNIDADE”

Este seminário foi dinamizado pela Dra Teresa Sarmento, docente da Universidade do Minho e Bárbara Wong, jornalista do jornal O Público e investigadora na área da educação.

“A imagem social do professor” e “O papel ativo da criança na relação escola-família” foram os temas propostos para reflexão no II SEMINÁRIO EDUCAÇÃO EM DEBATE: (RE)PENSAR A RELAÇÃO ESCOLA-FAMÍLIA-COMUNIDADE”, desenvolvido no âmbito do PROJETO PAIS E PROFESSORES EM FORMAÇÃO/AÇÃO pelo Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique em parceria com a Escola Superior de Educação de Viseu, tendo suscitado o interesse de um elevado número de professores e pais/encarregados de educação.

Numa perspetiva de continuidade das sessões desenvolvidas durante o primeiro ano deste Projeto, os temas apresentados foram de grande interesse para os responsáveis pela tarefa complexa que é a educação – professores e pais – bem como as crianças, dando lugar a uma reflexão e discussão relevante no que diz respeito à promoção da aprendizagem e educação das crianças e jovens.

Pode consultar a apresentação da Dra Teresa Sarmento aqui:19 maio 2012 Prof Teresa

“A imagem social do Professor: realidades e Mitos” foi a temática abordada pela Dra. Bárbara Wong, tendo como base o último livro da autora, intitulado “A minha sala de aula é uma trincheira”. Partindo da sua experiência como jornalista na área da educação e de algumas conversas com professores, pais e crianças, a oradora apresentou alguns dos mitos associados ao professor e ao desempenho da sua profissão, mitos com um cariz essencialmente negativo. Com o propósito de (des)construir esta imagem social do professor menos positiva, a Dra Bárbara Wong apresentou situações concretas e reais da experiência de vida dos professores que vêm contrariar a representação mental feita pela sociedade em geral.

Abordando uma outra dimensão, a professora Doutora Teresa Sarmento falou sobre o papel e participação das crianças no seu processo de educação, salientando a necessidade urgente de “repensar as relações que estabelecemos e desenvolvemos com as nossas crianças”. A interação social com diversos grupos, nomeadamente com diferentes grupos etários devem ser promovidas de uma forma natural, no sentido de formar crianças e jovens mais capazes, mais autónomos e preparados para a sua vida futura. Por fim, esta investigadora concluiu, referindo que “educar não deverá ser um processo isolado mas um projeto participado que implica um compromisso de todos os intervenientes responsáveis pela educação”. Depois de abordado o papel do professor e a participação ativa das crianças, o pai Martinho procedeu a uma reflexão sobre o papel dos pais no processo de escolarização dos seus educandos, evidenciando que o êxito escolar depende fortemente da participação e envolvimento das famílias.